Descubra as vantagens e desvantagens de interromper a menstruação

images

Dores pelo corpo, inchaço, desconfortos, cólicas e alteração no humor são apenas alguns dos indesejados sintomas que a menstruação pode proporcionar mensalmente as mulheres. Por causa desses incômodos, cada vez mais mulheres estão optando por adotar métodos para interromper a menstruação. A ideia de cessar o ciclo menstrual é um assunto que rende debates, seja com as amigas ou entre os médicos, já que a menstruação exerce a importante função de preparar o corpo da mulher para engravidar, além de ser um sinal de que o organismo está saudável.

De acordo com a ginecologista e obstetra Dra. Erica Mantelli (CRM-124.315), o primeiro passo para quem deseja parar de menstruar é procurar o ginecologista. A maioria dos métodos para interromper a menstruação pode provocar algum efeito colateral, já que a falta dos hormônios femininos altera as funções do organismo e pode gerar danos à saúde como aumento de peso, retenção de líquido, entre outros.

“A mulher precisa passar por uma avaliação médica para que o profissional verifique se ela apresenta sintomas intensos de TPM (Tensão Pré-menstrual) que prejudiquem seu dia a dia. Existem algumas doenças que também se beneficiam com a suspensão da menstruação, porém, essa decisão deve ser tomada juntamente com o médico. Infelizmente, muitas mulheres emendam uma cartela na outra ou tomam remédios sem orientação e podem apresentar graves problemas de saúde.”, explica Erica.

Qual método posso usar?

A ginecologista revela quais são os métodos mais utilizados pelas mulheres para suspender a menstruação. Veja se eles realmente funcionam:

Injeção de progesterona: Após três meses utilizando o método, 60% das mulheres têm a menstruação suspensa. “Essa injeção contém uma grande quantidade de progesterona, que fica depositada no organismo, sendo liberada em pequenas doses diárias”.

Vantagens: Diminui a irritabilidade e agressividade. São muito úteis no tratamento de doenças crônicas, que pioram durante a menstruação.

Desvantagens: Aumento de peso significativo e diminuição da libido.

Implante subcutâneo: É um pequeno bastão semi-rígido contendo hormônio que é liberado diariamente em pequenas doses. Sua inserção é feita no braço e a validade é de três anos.

Vantagens: O implante consegue interromper a menstruação e também melhora os sintomas da TPM e endometriose.

Desvantagens: Pode causar sangramentos indesejados e irregulares.

Diu hormonal: O dispositivo intrauterino libera diariamente uma pequena dose de hormônio durante cinco anos.

Vantagens: Pode provocar amenorréia (interrupção da menstruação), diminuindo as dores da endometriose e das cólicas menstruais.

Desvantagens: Pode provocar sangramentos irregulares.

Pílula de uso contínuo: São pílulas que contém a mesma dose de hormônio e são tomadas sem pausa. “Caso a mulher tome a pílula de três a cinco meses, sem pausa, ela pode vir a sofrer sangramentos irregulares, além de outros sintomas como dor de cabeça, retenção hídrica e, em alguns casos, hipertensão”, esclarece a especialista.

Vantagens: Podem ser usadas por mulheres que estão amamentando, pois não interrompe a lactação.

Desvantagens: Pode não bloquear totalmente a ovulação e, por isso, a eficácia como anticoncepcional pode ficar prejudicada em mulheres que não estão amamentando.

Análogo Hormonal: É uma substância injetada por um especialista, mensalmente, por via intramuscular ou subcutânea. Atua inibindo a produção dos hormônios pelos ovários. “Esse método é utilizado nos casos em que é aconselhável o bloqueio do ciclo menstrual. Na endometriose e na puberdade precoce, por exemplo, ou em mulheres com miomas ou doenças crônicas”, indica Erica.

Vantagens: Consegue interromper a menstruação na maioria dos casos.

Desvantagens: A queda dos níveis hormonais pode desencadear os sintomas da menopausa, como calor, aumento de peso, redução da libido e da massa óssea. Não deve ser usado por mais de seis meses.

Menstruar ou não?

Interromper os ciclos menstruais mensais pode reduzir o risco de surgimento de endometriose, miomas uterinos, cistos de ovário, infertilidade causada por obstrução das tubas uterinas, câncer de mama, útero e ovário, além de amenizar as cólicas e auxiliar no combate à anemia e à tensão pré-menstrual.

Para muitas mulheres, a menstruação mensal também é sinal de perfeito funcionamento do seu organismo, enquanto outras ficam preocupadas com o fato do uso constante de medicamentos causar infertilidade. “Geralmente os métodos hormonais não causam infertilidade permanente. As mulheres que fazem uso de medicamentos para suspender a menstruação devem fazer um acompanhamento criterioso com seu ginecologista, para verificar as alterações indesejadas e controlar as taxas hormonais” alerta a médica.

Vale lembrar que esses tratamentos não são aconselhados para as mulheres fumantes, que têm problemas na tireóide ou que já tiveram trombose. Independente do tipo de medicamento escolhido para suspender a menstruação, todos contém hormônios que só devem ser utilizados com indicação médica, pois podem aumentar o risco de infarto, trombose, derrame e alguns tipos de câncer.

Anúncios

Sobre Guilherme Derrico

Jornalista, músico e viciado em esportes. Sejam todos bem-vindos ao mundo de Derrico. Um abraço!
Esse post foi publicado em Reportagens, Saúde. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s