Fitoterapia combate a azia na gestação

images (1)

Qual é a mamãe que já não sofreu de azia durante o terceiro trimestre de gravidez? São poucas que conseguem se livrar desse incômodo, mas a maioria das gestantes tende a sentir o incômodo devido ao aumento do nível hormonal da progesterona, que leva ao relaxamento do corpo, incluindo o esfíncter esofágico inferior (válvula entre o estômago e o esôfago) que costuma estar bem fechado. Quando relaxa, porém, deixa o conteúdo do estômago voltar para o esôfago, provocando uma irritação no local.

A azia provoca uma sensação de queimadura no peito e garganta e um sabor ácido na boca. Segundo a farmacêutica e homeopata Adriana Márcia Gonçalves (CRF 42361-SP), mesmo sendo inofensiva na gravidez, o problema deve ser controlado. “Esse incômodo pode ser tratado de diversas formas, inclusive com a fitoterapia, que consiste num método terapêutico que utiliza as plantas”, explica Adriana.

A Fitoterapia utiliza com fins terapêuticos plantas medicinais como algas, bolbos, raízes, flores, cascas, sementes e folhas, para tratar doenças crônicas, como a asma, depressão, problemas digestivos, doenças de pele e alérgicas, hipertensão, infecções e muitas outras. “É considerada fitoterápica toda preparação farmacêutica com chás, tinturas, xaropes, pomadas e cápsulas, que utiliza como matéria-prima algumas partes de plantas como folhas, caules, raízes, flores e sementes”, afirma a especialista.

O principal fundamento da fitoterapia é propor tratamentos para manutenção da saúde sem agredir o organismo, além de prevenir doenças e tratar problemas crônicos. Apesar da eficiência comprovada, é preciso ter cautela na hora de tomar chás ou iniciar qualquer tipo de tratamento com plantas medicinais. “A fitoterapia utilizada sem a orientação de um especialista pode trazer graves consequências. Um simples chá de boldo pode ocasionar sérios problemas no organismo”, alerta.

Outro cuidado que deve ser tomado é conhecer a procedência dos produtos e sempre adquiri-los em lojas confiáveis, pois a forma incorreta de armazenamento das ervas pode transformá-las em ineficientes.

Chá durante a gravidez: atenção nunca é demais

De acordo com a farmacêutica, pelo fato de serem produtos naturais, provenientes de plantas, em sua maioria, os fitoterápicos não causam nenhum efeito colateral. “Ainda são poucos os dados sobre os efeitos colaterais de fitoterápicos em gestantes. Antes de optar por usar plantas medicinais, a gestante deve informar ao seu médico para que ele prescreva uma receita que não prejudique o bebê”, aconselha.

De uma maneira geral, os chás são liberados para a gestante, porém, há as versões contraindicadas, como a de canela, por exemplo, que pode provocar constrição sanguínea e contração dos músculos do útero. “Entre as plantas proibidas para gestantes por oferecerem riscos estão a rosa, a erva-de-bicho, a buchinha do norte e o confrei. Ervas que contêm muita cafeína ou aceleram o metabolismo devem ser evitadas”, revela Adriana.

Já os chás de camomila, cidreira colônia, erva-doce e valeriana estão liberados e podem tratar a azia e ansiedade natural da gravidez, desde que sejam indicados por um especialista.

Consulte um médico antes de iniciar o tratamento

Os chás podem amenizar sintomas que tiram as mamães do sério na gestação, como a azia, mas antes de recorrer a chás ou xaropes para aliviar essa sensação de queimação, consulte o seu médico.

Veja quais são os chás que podem livrar as mamães da azia:

Boldo: O chá de boldo estimula a digestão, a secreção biliar, os distúrbios intestinais e hepáticos. O chá combate a prisão de ventre, gases intestinais, azia, transtornos do fígado e atua na degradação de gorduras.

Erva Doce: Acalma os nervos, elimina o mau hálito, as cólicas intestinais e do ventre. “O chá de erva doce é um ótimo aliado para amenizar a azia e pode ser consumido durante a gestação”, diz.

Hortelã: Indicada para o tratamento da febre, vermes, espasmos, gases intestinais, sistema nervoso, inflamações uterinas, resfriado, faringite, tosse, problemas de garganta, coceiras, inchaços, dor de cabeça, rinite, conjuntivite, cólicas, diarréia e problemas estomacais, como gastrite e azia. O chá é estimulante digestivo, antiséptico, descongestionante nasal, anestésico e analgésico.

Anúncios

Sobre Guilherme Derrico

Jornalista, músico e viciado em esportes. Sejam todos bem-vindos ao mundo de Derrico. Um abraço!
Esse post foi publicado em Reportagens, Saúde. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s