Conheça 3 modernas tecnologias que ajudam a manter a boa forma

1201_boaforma_f_002

Com o passar dos anos, o nosso organismo passa a produzir menos colágeno e elastina, fibras responsáveis pela sustentação da pele. A musculatura do corpo perde tônus e surge a indesejável flacidez. Isso é um processo natural do envelhecimento, mas também culpa do estresse, do cigarro, da poluição, da exposição inadequada ao sol e, ainda, em decorrência da gravidez – período em que as fibras da pele do abdômen são bastante exigidas.

Felizmente, hoje em dia já é possível amenizar as marcas do tempo. Seguir uma alimentação equilibrada, praticar regularmente exercícios físicos e usar cremes que estimulam a produção de colágeno e elastina (os chamados firmadores) são alguns procedimentos que ajudam a prevenir a perda de elasticidade da pele, mas um reforço da tecnologia pode acelerar esse processo. “A associação de três modernas tecnologias pode ajudar a manter o corpo em forma, livre da indesejável flacidez, que acomete a todos independente de sexo e se acentua após os 30 anos”, garante a fisioterapeuta Mariana Moraes.

Técnicas associadas no tratamento estético

O tratamento é direcionado para a região da flacidez e consiste em sessões alternadas de Phydias com Carboxiterapia e Phydias com Hertix. A especilista explica que no total são realizadas 10 sessões de Phydias, 5 sessões de Carboxiterapia e 5 sessões de Hertix, duas vezes na semana. Cada sessão dura aproximadamente uma hora e 15 minutos.

Saiba mais sobre cada procedimento:

Phydias: Atua na estimulação elétrica computadorizada para ativação de fibras musculares, gerando fortalecimento dos músculos e melhorando seu desempenho e aumento do tônus muscular. “Com a idade, um tipo específico de fibras musculares se atrofiam, independente de se manter atividades físicas. Entretanto, estímulos elétricos de alta intensidade conseguem promover a contração dessas fibras, levando a uma melhora acentuada do tônus e da silhueta, sendo eficaz na redução da flacidez”, explica Mariana.

Hertix: É um gerador de radiofrequência com objetivo de aumentar a temperatura do tecido. Esse aquecimento induz o aparecimento de vasodilatação local e estímulo à formação de novo colágeno. O tratamento é indolor, não invasivo e não ablativo, o que faz com que a rotina diária dos pacientes não seja alterada. “É um tratamento possível de ser realizado em qualquer época do ano ou fototipo do paciente. O procedimento é acompanhado por uma sensação de intenso calor e eritema moderado, que é mantido por algumas horas”, diz.

Carboxiterapia: Trata-se da introdução do anidro de carbono (gás carbônico CO2) puro e medicinal. O gás carbônico é um vasodilatador e age melhorando a microcirculação e oxigenação dos tecidos. “Ele atua estimulando a formação de colágeno e novas fibras elásticas na região aplicada. A distensão da pele pelo CO2 faz com que ela se retraia, melhorando a flacidez”, garante a fisioterapeuta.

Contraindicações

– Gestantes

– Portadores de marca-passo

– Câncer ou Metástase

– Artrite

– Prótese metálica na região

– Procedimento cirúrgico sem completa cicatrização

– Doenças dermatológicas

– Processos infecciosos

– Preenchimento com PMMA e ácido hialurônico

– Lactantes

– Pacientes epiléticos

– Doenças descompensadas (hipertensão, diabetes e cardiopatias)

Anúncios

Sobre Guilherme Derrico

Jornalista, músico e viciado em esportes. Sejam todos bem-vindos ao mundo de Derrico. Um abraço!
Esse post foi publicado em Reportagens, Saúde. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s