Pilates: um aliado contra a osteoporose

images (1)

O Pilates se tornou uma das modalidades de exercícios mais procuradas por quem quer ganhar tônus muscular, flexibilidade e força. Mas além de auxiliar na parte estética, os exercícios de Pilates também têm função terapêutica e podem ajudar a prevenir a osteoporose ou a melhorar o quadro da patologia. O fisioterapeuta e instrutor de pilates Vinícius Zacarias garante que isso é possível através da contração muscular resistida pelas molas durante os exercícios, quando os ossos são submetidos a carga mecânica, o que favorece o aumento da massa óssea.

“A necessidade de melhorar o suporte ósseo por meio do fortalecimento dos músculos posturais e articulares é fundamental para pessoas com osteoporose. E se pensarmos que a doença é mais comum em pessoas da terceira idade, e que nesta parcela da população os exercícios de impacto não são indicados, o Pilates surge como a opção ideal por não apresentar quase nenhuma contraindicação e ainda trabalhar o equilíbrio, a coordenação, a concentração e a força muscular, dentre outras coisas. Além do mais, diminui o risco de sofrer fraturas”, explica Zacarias.

Mas se você pensa que a osteoporose é uma doença da terceira idade, está totalmente enganado. Atualmente é cada vez mais frequente o início da doença em adultos a partir dos 35 anos. A doença, caracterizada pela diminuição da perda óssea, é silenciosa, e o ritmo de trabalho acelerado no dias atuais: sedentarismo, ingestão de corticóides e ciclos menstruais interrompidos, alterando os níveis hormonais, acabam contribuindo para o aparecimento mais cedo dessa patologia.

Por isso que a recomendação é começar a prática dos exercícios de Pilates como prevenção da osteoporose aos 30 anos ou até antes. Mas é a partir dos 50 anos, quando a maioria das mulheres entra na menopausa e começa a perder massa óssea pela deficiência hormonal, que os exercícios se tornam fundamentais. “No método Pilates quase todos os exercícios promovem a tensão óssea e estimulam o aumento da massa óssea, por isso podem ser praticados por pessoas de todas as idades, com osteoporose ou não. No entanto, alguns exercícios exigem adaptações quando uma pessoa com estrutura óssea frágil deseja praticá-lo”, diz o fisioterapeuta.

Algumas posturas podem provocar fraturas ou acentuar deformidades como a hipercifose, comum em pessoas com osteoporose, se forem executadas sem orientação de um profissional capacitado. Por isso, que tem a doença está liberado para praticar a atividade até três vezes por semana, mas sempre com um instrutor capacitado. “A doença inspira cuidados e os exercícios feitos de maneira errada podem piorar o quadro ou até mesmo causar fraturas graves”, alerta o instrutor.

Os resultados da prática do Pilates em pacientes com osteoporose começam a ser notados em pouco tempo. Durante as primeiras sessões já existe uma melhora do sono, aumento do trabalho muscular, do relaxamento, e sensação de bem estar. “Em pouco tempo, os alunos começam a mostrar uma melhora notável do tônus muscular, aumento da flexibilidade, correção postural, relaxamento consciente, melhora da circulação e bem estar geral com aumento dos níveis de energia”, afirma o especialista.

Entre os benefícios do Pilates para quem tem osteoporose, Vinícius destaca:

– Aumenta a flexibilidade, executando movimentos mais fluidos que proporcionem maior agilidade, fundamental para cada atividade diária sem provocar fadiga;

– Equilibra os grupos musculares antagonistas e melhora o posicionamento corporal através de exercícios de alongamentos leves;

– Ganha a amplitude de movimentos, melhorando a função articular e liberando estruturas rígidas;

– Proporciona um melhor alinhamento postural mediante o ganho de equilíbrio muscular para prevenir lesões ou evitar padrões de movimentos incorretos, os quais, com o passar do tempo, incorporam posicionamentos danosos em seu esquema corporal;

– Realiza trabalhos musculares controlados com o intuito de melhorar a nutrição, a oxigenação dos músculos e a qualidade de sua função;

– Possibilita a reeducação postural, que permite incorporar hábitos de vida saudáveis, diminuindo os fatores de risco que podem levar a lesões;

– Acrescenta à rotina diária uma atividade recreativa diferente, fazendo com que a mente se encontre mais relaxada, gerando uma diminuição da ansiedade e do nervosismo provocados pelo estresse e pelas tensões do dia a dia.

O que é osteoporose?

A osteoporose é um processo caracterizado pela perda da massa óssea e a diminuição da resistência mecânica dos ossos por diversas causas. Entre os fatores que predispõem a doença podemos citar os desequilíbrios hormonais (geralmente, relacionados ao período da menopausa da mulher), o sedentarismo e o déficit na absorção de cálcio.

As regiões do corpo mais atingidas são os quadris, os punhos e a porção anterior dos corpos vertebrais, que sofrem desgastes com simples inclinações repetidas do tronco para frente, gerando fraturas espontâneas. “A diminuição da massa óssea aumenta o risco de fraturas, mesmo nos casos em que não ocorra nenhum tipo de traumatismo ou acidente, a fragilidade óssea é tão expressiva que o próprio peso corporal ou um movimento mal realizado podem provocar fraturas”, finaliza Zacarias.

Anúncios

Sobre Guilherme Derrico

Jornalista, músico e viciado em esportes. Sejam todos bem-vindos ao mundo de Derrico. Um abraço!
Esse post foi publicado em Reportagens, Saúde. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s