Cérebro x Ansiedade: cuidar da saúde mental ajuda a controlar a agonia

f4568

Quem nunca teve um branco na hora de uma prova ou não conseguiu dormir por causa de uma pendência no trabalho? Essas pequenas preocupações afetam o cérebro e o corpo, e muitas vezes podem até virar doença. Além disso, esse estado de atenção provocado pela ansiedade ainda pode desencadear reações físicas como falta de ar, taquicardia, boca seca, tremedeira e sudorese. Sem falar nos problemas psicológicos: insônia, insegurança, irritabilidade, tristeza, são mais de 30 sintomas que podem aparecer do nada.

Segundo o neurologista Leandro Teles (CRM-124.984), a ansiedade não deve ser ignorada, principalmente quando vem acompanhada de problemas de atenção e memória. “A partir do momento em que o cérebro identifica que estamos preocupados, a amígdala e o hipotálamo interpretam como se o corpo estivesse em perigo e liberam hormônios, como a adrenalina e os glucocorticóides, que aumentam o batimento cardíaco e a respiração, daí surgem problemas de taquicardia e falta de ar”, explica Teles.

Além disso, o estado de atenção que a ansiedade provoca ainda inibe o sistema digestivo, deixando a boca seca. “A maioria das pessoas ficam ansiosas a maior parte do tempo sem nenhuma razão aparente. Entretanto, em alguns casos, essa ansiedade pode ser tão intensa que pode interferir no seu dia a dia. Essa sensação de medo, receio e apreensão é tão desconfortável que, para evitá-la, as pessoas deixam de fazer coisas simples, como usar o elevador”, afirma o neurologista.

No Brasil, estima-se que 23% da população tenha algum tipo de distúrbio ansioso ao longo da vida. “As chances de morrer de problemas cardíacos pode ser até quatro vezes maior para quem tem a síndrome do pânico, estresse pós-traumático, fobias, transtorno obsessivo compulsivo e ansiedade generalizada. Mas, a boa notícia é que todos têm cura”, revela o médico.

Chega de pensamentos catastróficos

Todo tipo de ansiedade pode ser tratado. Existem alguns medicamentos como os benzodiazepínicos ou ansiolíticos, que atingem as áreas do cérebro responsáveis pela agonia. “Quando o benzodiazepínicos chega ao cérebro, inicia a produção do ácido gamaaminobutírico (Gaba), que é considerado um sedativo do sistema nervoso, pois ele inibe as atividades que produzem a ansiedade”.

Esses medicamentos são ideais para ansiedades pontuais, por exemplo, para quem tem medo de andar de avião. “Os remédios citados podem até diminuir a ansiedade, porém, nada vai adiantar se a pessoa não parar de ter pensamentos catastróficos”, alerta o especialista.

De acordo com Dr. Leandro, existem algumas atitudes que podem ajudar a controlar a ansiedade. Siga os conselhos dele e livre-se desse pesadelo:

1 – Pratique atividades físicas regularmente;

2 – Mantenha uma alimentação balanceada;

3 – Tente reduzir o estresse diário;

4 – Se precisar aposte em massagens e terapias para relaxar;

5 – Mantenha o controle da respiração para reduzir as reações do sistema nervoso;

6 – Ocupe a cabeça com coisas boas;

7 –  Procure ter uma boa noite de sono.

Anúncios

Sobre Guilherme Derrico

Jornalista, músico e viciado em esportes. Sejam todos bem-vindos ao mundo de Derrico. Um abraço!
Esse post foi publicado em Saúde. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s