Vida de Jornalista: preso numa jaula de pensamentos obscuros

livre_1280616904

A vida de José Roberto, jornalista, não anda seguindo o caminho pelo qual ele imaginava, Ainda em sua época de faculdade, entre muitos textos lidos, ele se lembra bem de uma frase que dizia: “Prenda um homem em uma jaula e veja que ele morrerá aos poucos”. Não era 100% escrita desse jeito, mas o sentido era esse.

Quando a depressão toma conta do sujeito ele passa a ter pensamentos estranhos, suicidas, e o gosto pela vida já não é mais o mesmo. Assim que Roberto se sente, deprimido. Hoje em dia existe um tal de GOOGLE. É fácil pesquisar sobre qualquer assunto usando essa ferramenta.

José então passou a ler bastante sobre depressão, tratamentos, depoimentos de quem vive com essa doença, e também o outro lado, sobre como suicidar-se. Até que o jornalista encontrou algumas dicas interessantes na web, como por exemplo, usar o gás como uma arma letal, já que ele procurou por morte sem dor.

Mas as dúvidas sempre pairam no ar: será que essa técnica é segura? Ela vai realmente cumprir o que promete? O personagem citado poderia muito bem adquirir um revólver e disparar contra a própria cabeça, esse sim seria um ato que traria à tona o seu desejo de morrer.

E pensar que tudo isso desencadeou do nada, de uma hora pra outra. Não que Roberto não soubesse que sofre de depressão, longe disso. Essa consciência ele sempre teve, porém, o que fez com que a crise depressiva se instalasse é uma incógnita.

O fato é que José Roberto anda preso em seus pensamentos. Leva uma vida que não gosta, sem aventuras, sem sorrisos, sem amigos, sem pais, apenas um trabalho que ele não faz praticamente nada o dia inteiro (e ainda recebe por isso). Muitos iriam gostar de estar em seu lugar, afinal, quem não quer trabalhar pouco e ter seu salário em dia?

O problema é que o rapaz é elétrico, responsável, e gosta de estar sempre em movimento. Entretanto, a depressão começa a mostrar que veio com tudo, pois ele não liga mais em ser um vagabundo, não faz mais coisas que antes adorava fazer, está sempre indisposto e preferindo dormir a realizar qualquer ação.

Voltando ao assunto suicídio, Roberto tem uma certeza: vai tentar se matar uma hora ou outra, já que não tem mais o que fazer nessa vida. O jornalismo, que um dia foi um sonho, hoje virou seu maior pesadelo. É uma área fechada, onde não há vagas, apenas para os indicados.

Cansado disso tudo, só resta a José se despedir. Adeus, mundo cruel…

Anúncios

Sobre Guilherme Derrico

Jornalista, músico e viciado em esportes. Sejam todos bem-vindos ao mundo de Derrico. Um abraço!
Esse post foi publicado em Vida de Jornalista e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s