Descubra como a obesidade pode interferir no funcionamento do cérebro

gordo-na-academia

Não são poucos os números de pessoas obesas em todo o mundo. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), mais de um bilhão de adultos estão com sobrepeso e 300 milhões com obesidade. No Brasil, essa doença atinge 18% das mulheres e 13% dos homens. Mas, quais os efeitos do excesso de peso para a saúde?

Pois bem, de acordo com estudos divulgados no periódico médico Journal of Clinical Investigation, a obesidade e as dietas gordurosas podem afetar o funcionamento cerebral. A razão é que ele muda o hipotálamo, uma área do cérebro que atua regulando as sensações de fome e sede, sono e temperatura corporal. Diante disso, quando a região está com problemas, o cérebro manda estímulos de que está com fome, mesmo que o estômago esteja cheio.

Além disso, pessoas obesas têm duas vezes mais chances de sofrer um acidente vascular cerebral (AVC) por causa dos níveis de hipertensão e colesterol que estão muito altos. Outro problema é que, esses pacientes estão mais propensos ao desenvolvimento de problemas psicológicos, como ansiedade, baixa autoestima e até mesmo depressão.

Outros prejuízos são os problemas ortopédicos, respiratórios, o diabetes e as dislipidemias que é o aumento de gorduras que predispõe à arteriosclerose. Sendo assim, o melhor a fazer é começar a mudar as atitudes em relação ao cardápio diário e incluir a prática de atividades no dia a dia. Outra dica importante é associar com algum método de emagrecimento como é o caso do plasma de argônio.

Trata-se de um procedimento endoscópio onde é realizada uma fulguração da anastomose com gás argônio para promover sua redução e trazer a saciedade ao se alimentar. Ou seja, é aplicado um laser ao redor da costura entre o estômago e o intestino, provocando uma queimadura. O objetivo é promover a redução do diâmetro da anastomose (região por onde passa o alimento que sai do estômago para o intestino) através da cicatrização da lesão. Com a capacidade do estômago reduzida, o paciente consegue ficar saciado com uma menor ingestão de alimento e acaba perdendo peso.

Anúncios

Sobre Guilherme Derrico

Jornalista, músico e viciado em esportes. Sejam todos bem-vindos ao mundo de Derrico. Um abraço!
Esse post foi publicado em Saúde e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s